skip to Main Content

articulando diferentes lutas e justiças por dignidade


Comentários por Teresa Cunha (CES)

Resumo

O seminário apresentará a proposição de uma promoção emancipatória da saúde (PES). Ela reflete uma trajetória de mais de 20 anos de pesquisas na Escola Nacional de Saúde Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz) articuladas com lutas e movimentos sociais por saúde, dignidade e direitos territoriais de populações das cidades (especialmente periferias e favelas), assim como dos campos, florestas e águas (camponeses, indígenas e quilombolas). A PES busca articular quatro dimensões da justiça (social, sanitária, ambiental, cognitiva e histórica) a partir do diálogo entre três campos do conhecimento; a saúde coletiva, a ecologia política e as abordagens pós-coloniais, em especial as epistemologias do Sul proposta por Boaventura de Sousa Santos. Um aspecto estratégico para a realização de encontros interdisciplinares e interculturais em torno da saúde implica a  incorporação de múltiplas linguagens e narrativas além das científicas, como as artísticas, poético-musicais e populares. Elas contribuem para construir pontes entre ciência e ética, razão e afeto, saúde e dignidade por meio de práticas mais sensíveis e sábias dentro da academia.

Nota biográfica

Marcelo Fipo Porto é coordenador do Núcleo Ecologias, Epistemologias e Promoção Emancipatória da Saúde (Neepes/ENSP/Fiocruz) e investigador associado do CES/Universidade de Coimbra.


 




 

Fonte: articulando diferentes lutas e justiças por dignidade

This Post Has 0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back To Top