skip to Main Content

Colonialismes et colonialités : théories et circulations en portugais et français

Publicado em: Colonialismes et colonialités : théories et circulations en portugais et français

O colóquio internacional Colonialismos e Colonialidades: teorias e circulações em português e em francês / Colonialismes et colonialités: théories et circulations en portugais et en français apresenta os resultados de pesquisa do projeto CILIPO-FP (Circulações da literatura pós-colonial em francês e em português), financiado pelo dispositivo Bourgeon, da Universidade Jean Moulin Lyon 3, em 2022. O desafio de pensar as circulações entre dois sistemas linguísticos complexos, e que implicam contextos e historicidades globais, foi lançado a catorze investigadoras e investigadores (doutorandos, pós-doutorandos, e professores em diversas fases da carreira) em 12 universidades do Brasil, de Portugal e da França.

“Colonialismos” e “colonialidades” são termos empregues no século XX para fazer referência à dinâmica que fundou o sistema-mundo capitalista a partir das colonizações europeias em todos os continentes, perpetuando na contemporaneidade práticas de subalternidades nascidas daquele contexto. Partindo destes dois termos, o colóquio apropria-se de um vocabulário comum: aquele em que a língua portuguesa e a língua francesa se difundiram pelo mundo. Investigadores demonstraram, já nos anos 1980, a importância que a questão linguística assume neste sentido, uma vez que disciplinas hoje aplicadas aos sistemas de ensino nacionais nascem no século XIX, e são produzidas pelo mesmo contexto que produz o imperialismo. Não é uma coincidência, portanto, que grande parte dos participantes do colóquio Colonialismos e Colonialidades trabalhem com o ensino de línguas, cultura ou literatura.

O colóquio encerra com o lançamento de um livro digital, bilingue e interativo.

Organizado ao longo do ano de 2022, esta obra apresenta várias análises teórico-conceptuais, históricas e literárias, dividindo-se em três partes: teorias, circulações e media. Ainda que o resultado apresentado esteja circunscrito a uma reflexão académica, espera-se que atrizes e atores do espaço público possam integrar o volume, através dos seus comentários, reflexões, sugestões e críticas, que ampliem as perspetivas aqui lançadas. Espera-se, igualmente, que Colonialismos e Colonialidades: teorias e circulações em francês e em português sirva para ampliar a rede de investigadores/as interessados na temática dos colonialismos históricos e das colonialidades contemporâneas em termos de circulação e receção. A equipa de organização do colóquio internacional espera que este seja o primeiro de muitos encontros favoráveis ao fortalecimento da rede COS, constituída em torno desta temática.

09h00 Recepção dos participantes

09h30-11h00 Reunião interna grupo COS: “Novos projetos e fortalecimento da rede”

11h00 Apresentação do Colóquio : Natália Guerellus (Université Jean Moulin Lyon 3), Nuno Medeiros (Universidade de Lisboa) e José Eduardo Franco (Universidade Aberta)

11h15-12h30 Mesa-redonda “Questões de gênero e circulações”

Moderação Nuno Medeiros

  • Diálogos e circulação de feminismos negros e pós-coloniais contemporâneos entre Brasil e França: o caso de Djamila Ribeiro e a coleção “Feminismos Plurais”. Giulia Manera (Université de Guyane, França) Carolina Maria de Jesus, intérprete do Brasil. Sandra Assunção (Université Paris Nanterre, França)

12h30-14h00 Almoço

14h00-15h30 Mesa-redonda “Aspectos teórico-metodológicos”

Moderação José Eduardo Franco

  • Regimes de colonialidade. Michel Cahen (Science Po Bordeaux, França)
  • O “Anti”, o “Pós” e o “De” (Colonial): As disputas teórico-epistêmicas em torno de Frantz Fanon. Deivison Faustino (Universidade Federal de São Paulo, Brasil)
  • Comparativismos “Combinados e Desiguais”. Repensar o campo dos estudos literários africanos à luz do debate sobre literatura-mundial. Elena Brugioni (Universidade de Campinas, Brasil)
  • Os estudos pós-coloniais lusófonos nas universidades europeias. Bárbara dos Santos (Université de Bordeaux-Montaigne, França)
  • A receção pós-colonial e decolonial de Vieira: usos e significados das apreciações controversas sobre a sua vida e a sua obra, Ricardo Ventura (Universidade Aberta, Portugal)

15h30-17h00 Mesa-redonda “Colonialidades e literatura digital”

Moderação Christian Côte

  • Uma estética da desprogramação: o Observatório da Literatura Digital Brasileira e a invenção de um outro mundo possível. Luciana Salazar (Universidade Federal de São Carlos, Brasil)
  • Projet LIFRANUM (Université Jean Moulin Lyon 3)
  • Roberto Rosa (ilustrador) e Raísa França Bastos (tradutora)
  • Antoine Fauchie (programador, Université de Montréal) e Amélie Dumont (webdesign)

17h00-17h15 Pausa café

17h15-18h15 Mesa-redonda “Colonialismos e colonialidades em circulação”

Moderação Natália Guerellus

  • Instâncias etnográficas, colonialismo e edição de livros no Estado Novo português. Nuno Medeiros (Universidade de Lisboa, Portugal)
  • Os galhos pelados da caatinga rala”: Graciliano e(in)screve o Brasil na França (1956-1998). Giselle Venancio (Universidade Federal Fluminense, Brasil) e Lucas Cheibub (Universidade Federal Fluminense, Brasil)
  • Mercado editorial de quadrinhos e leituras do Brasil na França. Angélica Amâncio (Université de Poitiers, França)

18h30 Lançamento do livro Colonialismos e Colonialidades: teorias e circulações em português e em francês / Colonialismes et colonialités: théories et circulations en portugais et en français, com a presença de representante da editora Theya

Natália Guerellus (Université Jean Moulin Lyon 3), Nuno Medeiros (Universidade de Lisboa) e José Eduardo Franco (Universidade Aberta).

Back To Top