skip to Main Content

entre a União Europeia e o campo do Kakuma (Quénia) 

Publicado em: entre a União Europeia e o campo do Kakuma (Quénia) 


Existem cerca de 117.2 milões de pessoas em situação de migração forçada ou apátridas em 2023 que fugiram da guerra, conflitos violentos ou perseguição. De acordo com a ACNUR, pessoas perseguidas pela sua identidade de género, orientação sexual ou características sexuais têm direito à proteção internacional, numa realidade em que mais de 70 países criminalizam relações entre pessoas do mesmo sexo. Esta SHARP Talk dedica-se a apresentar a questão das pessoas requerentes de asilo com base na sua identidade de género e orientação sexual em dois contextos diversos: na União Europeia tendo a Grécia como porta de entrada e no campo de refugiados de Kakuma (Quénia), que abriga, hoje, mais de 200 mil pessoas.

 


Notas Biográficas


Inês Avelãs fez a licenciatura em Direito na Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra e o mestrado em direitos humanos e democracia no Global Campus – Europe em Itália. Após ter terminado os estudos, Inês começou a trabalhar em Lesbos, Grécia, com uma organização não governamental, Fenix Humanitarian Legal Aid, que dá apoio jurídico a requerentes de asilo e beneficiários de proteção internacional até dezembro de 2023. Inês primeiro trabalhou na equipa jurídica internacional e depois na equipa de advocacia política.


Luiz Henrique Amoedo é licenciado em Comunicação Social pela Escola Superior de Propaganda e Marketing de São Paulo (Brasil), Mestre e, atualmente, doutorando em Antropologia Social e Cultural pela Universidade de Coimbra (Portugal). Sua investigação é centrada nos direitos humanos de pessoas refugiadas LGBTQIA+ na África Oriental, especialmente nas minorias sexuais e de género que vivem nos campos de pessoas refugiadas do Quénia e África do Sul. Foi coordenador de Desenvolvimento Institucional do Museu da Diversidade Sexual de São Paulo. Além disso, faz parte do comitê para a criação do protocolo de atenção à saúde da população de refugiados/as LGBTQIA+ da prefeitura de São Paulo e é gestor do Instituto Adus, organização de acolhimento de pessoas em migração forçada no Brasil. 


___________________________


Esta atividade realiza-se através da plataforma Zoom, sem inscrição obrigatória. No entanto, está limitada ao número de vagas disponíveis >>  https://zoom.us/j/81727712733 | ID: 817 2771 2733 | Senha: 278502


Agradecemos que todas/os as/os participantes mantenham o microfone silenciado até ao momento do debate. A/O anfitriã/ão da sessão reserva-se o direito de expulsão da/o participante que não respeite as normas da sala.


As atividades abertas dinamizadas em formato digital, como esta, não conferem declaração de participação uma vez que tal documento apenas será facultado em eventos que prevejam registo prévio e acesso controlado.

 

Fonte: entre a União Europeia e o campo do Kakuma (Quénia) 
Feed: Centro de estudos Sociais – Eventos
Url: www.ces.uc.pt
Back To Top