Skip to content

Guerra, deslocamentos forçados e resposta à crise em Cabo Delgado, Moçambique

Publicado em: Guerra, deslocamentos forçados e resposta à crise em Cabo Delgado, Moçambique


Desde o início de Outubro de 2017 que um conflito armado tem ensombrado a vida das pessoas da provínciade Cabo Delgado, Moçambique. As mulheres continuam a ser faladas mas raramente falam na imprensa e nas pesquisas feitas e tornadas públicas. Esta palestra baseia-se num trabalho em contra-mão em que elas não só falam como são atentamente ouvidas.

Atividade no âmbito do projeto «REPLAY – As abordagens à paz e a (re)produção da violência em Moçambique», financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P. (EXPL/CPO-CPO/1615/2021) em colaboração com a Licenciatura em Relações Internacionais da FEUC.

Nota biográfica

Teresa Cunha é doutorada em Sociologia pela Universidade de Coimbra em pós-colonialismos e cidadania global com uma tese com o título ‘Para além de um Índico de revoltas. Uma análise feminista e pós-colonial das estratégias de autoridade e poder das mulheres de Moçambique e Timor-Leste’. Realizou uma investigação pós-doutoral em Economias Feministas em Moçambique, África do Sul e Brasil (2011 a 2018). É investigadora do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra onde ensina em vários Cursos de Doutoramento; co-coordena a publicação ‘Oficina do CES’. Co-coordenou os ciclos do Gender Workshop entre 2012 e 2022. É professora desde 1980, professora-coordenadora da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Coimbra desde 2020, investigadora do Centro de Investigación por la Paz Gernika Gogoratuz, País Basco, investigadora associada do CODESRIA e do Centro de Estudos Africanos da Universidade Eduardo Mondlane, Moçambique. Os seus interesses de investigação e formação são feminismos e pós-colonialismos; outras economias e economias feministas mulheres; transição pós-bélica, paz e memórias; direitos humanos das mulheres.


Tem publicados vários livros e artigos científicos em diversos países e línguas. Destacam-se os seguintes livros: Economic Diversity in Contemporary Timor-Leste; Mulheres; Territórios e Identidades vol 1, 2 e 3; Women InPower Women. Outras Economias criadas e lideradas por mulheres do sul não-imperial; Never Trust Sindarela. Feminismos, Pós-colonialismos, Moçambique e Timor-Leste; Ensaios pela Democracia. Justiça, dignidade e bem-viver; Elas no Sul e no Norte; Vozes das Mulheres de Timor; Timor-Leste: Crónica da Observação da Coragem; Feto Timor Nain Hitu – Sete Mulheres de Timor»; Andar Por Outros Caminhos e Raízes da ParticipAcção. Formadora do Conselho da Europa desde 1993 na área dos Direitos Humanos, Educação não-formal, Juventude e Género. Realizou ao longo da sua vida muitos projectos de educação-não formal feminista e pós-colonial nomeadamente em Moçambique, Colômbia, Brasil, Espanha e Timor-Leste.


É fundadora da colectiva internacional ‘Economias Feministas Camponesas’ que junta activistas e académicas de Espanha, Portugal, Colômbia, Brasil e Moçambique. Desde 2019, no âmbito do trabalho desta colectiva cocoordenou várias escolas avançadas e projectos feministas decoloniais em Coimbra, Bogotá, Medellín e Maputo. Foi presidente durante 7 anos da ONG internacional Youth Action for Peace (1990 a 1997) e activista feminista em várias organizações nacionais e internacionais como a Marcha Mundial das Mulheres. Em 2017, foi agraciada com a Ordem de Timor-Leste pelo Presidente da República Democrática de Timor-Leste pelos seus contributos para a paz e a independência do país.

Fonte: Guerra, deslocamentos forçados e resposta à crise em Cabo Delgado, Moçambique
Feed: Centro de estudos Sociais – Eventos
Url: www.ces.uc.pt
Back To Top