skip to Main Content

«Posto Avançado do Progresso» de Hugo Vieira da Silva

Apresentação


Posto Avançado do Progresso ((Angola/Portugal, 2016,120′) é um filme de Hugo Vieira da Silva, baseado no conto de Joseph Conrad “An Outpost of Progress” de 1896. No final do século XIX, dois colonizadores Portugueses, imbuídos de uma vaga intenção civilizadora desembarcam numa parte remota do Rio Congo para coordenar um posto comercial. À medida que o tempo passa, começam a desmoralizar pela sua incapacidade de enriquecer à custa do comércio de marfim. Sentimentos de desconfiança mútua e mal-entendidos com a população local isolam-nos no coração da floresta tropical.

Confrontados um com o outro iniciam uma caminhada em direcção ao abismo. A apresentação deste filme no contexto desta bienal de Marselha permite actualizar uma informação reflectida e crítica sobre uma faceta do colonialismo europeu, neste caso português mas em concluio com o belga, numa cidade – Marselha – fortemente marcada pelos traços do colonialismo francês. Permitirá também quer no seu visionamento , quer no debate , para o qual se espera ter a presença de franco-argelinos e franceses, entender as marcas comuns do colonialismo dos vários ex-impérios europeus.


A Bienal de Marselha HMIT existe há uma década e tem lugar nas regiões francesas da Provence, Alpes e Côte-d’Azur – região mediterrânica que envolve dezenas de instituições culturais da região de Outubro a Dezembro. O tema das migrações, deslocação e viagem é central na Bienal de 2019, razão pela qual a programação artística apresentada pelo projeto de investigação Memoirs leva à reflexão e, por isso, faz toda a diferença. Além da projeção do filme e da participação do realizador na mesa redonda.



Ficha Artística/Elenco


Argumento e Realização – Hugo Vieira da Silva

Baseado no conto de Joseph Conrad, – “An Outpost of Progress” 1896,

Produtor – Paulo Branco

Direcção de Produção – Ana Pinhão Moura

Assistente de Realização – Pedro Madeira

Som – Pierre Tucat

Director de Fotografia – Fernando Lockett

Direcção de Arte – Isabel Branco

Montagem – Paulo Mil Homens

uma produção – Alafama Films

uma co-produção – Leopardo Filmes

Produtor Executivo – República Filmes



Nota biográfica de Hugo Vieira da Silva


Nasceu no Porto em 1974, Portugal. Depois de estudar Direito na Universidade Católica do Porto de 1992 a 1995, Hugo Vieira da Silva formou-se na Escola Superior de Teatro e Cinema (ESTC). Foi bolseiro do programa NIPKOW– Berlim (escrita de argumento) 2003 e do Binger Filmlab – Universidade de Amesterdão (Writers class) 2009.


A sua primeira longa-metragem “Body Rice” (2006) produzida por Paulo Branco, ganhou vários prémios, mais notavelmente: “menção especial” da competição oficial em Locarno (2006), a categoria “melhor diretor” em Buenos Aires (BAFICI 2007) e na cidade do México (Ficco-2007). O filme foi selecionado para diversas seções internacionais competitivas e distribuído em Portugal e em França.


“Swans” (2011) seu segundo filme, produzido pela Flying Moon Berlin, foi selecionado para “L’ Atelier” no Festival de Cannes (2009), Binger FILMLAB (2008) e premiado no Torino FILMLAB Development (2008). Distribuído em vários países pela Match Factory, “Swans” foi selecionado para a seleção oficial Berlinale 2011 (fórum) e vários outros festivais internacionais.


“Posto Avançado do Progresso” (2015/16) é um mimetismo Português da história de J. Conrad (1897), longa-metragem produzida por Paulo Branco e filmada em África no Rio Congo (Angola). Foi selecionado para a 66 ª Berlinale Official Selection-forum, Viennale, Barcelona, Buenos Aires, entre outros. O filme foi premiado em vários festivais internacionais de cinema.


“A perfeição” (2018) está em pós-produção e, ainda com o produtor Paulo branco, desenvolve a sua quarta longa-metragem, “Longe da Estrada” (2019/20).


A imprensa, nacional e internacional tem dado atenção ao seu trabalho com artigos de fundo em publicações como Cahiers Du Cinéma, Le Monde, Liberation, Expresso entre outros.


Entre 2001 e 2004 foi sócio-gerente da produtora pelefilmes dedicada à produção de “filmes-documentário” tendo produzido ou realizado os seguintes filmes: Grupo puzzle- Real. -Hugo Vieira da Silva; Confesso (Albuquerque Mendes)- Real.- Hugo Vieira da Silva; Faz-me Face (José Pedro Croft)- Real. Margarida Ferreira de Almeida; Prova de Contacto (José de Guimarães)-Real. José Mário Grilo; Velocidade de escape- Real. Paulo Mendes; Todos os filmes foram adquiridos ou co-produzidos pela RTP. “Grupo Puzzle” foi adquirido e difundido pelo canal Franco-Alemão ARTE.


Foi júri da competição internacional no Era New Horizons (Wroclaw-Polónia) em 2011.


Colabora regularmente com artistas de performance, dança contemporânea e artes visuais nos domínios do video, instalação e dramaturgia, nomeadamente Cláudia Dias, Mariana Tengner Barros, Heidi Wilm, entre outros.


Hugo Vieira da Silva atualmente vive e trabalha entre Viena (Áustria) e Lisboa.


 


Apoio




 

 


 

Fonte: «Posto Avançado do Progresso» de Hugo Vieira da Silva

Back To Top