skip to Main Content

Andreia Garcia convidada a fazer proposta para a representação nacional na Bienal de Veneza @ UBI

Publicado em: Andreia Garcia convidada a fazer proposta para a representação nacional na Bienal de Veneza @ UBI

A docente da Universidade da Beira Interior (UBI), Andreia Garcia, faz parte do grupo restrito de três convidados pela Direção-Geral das Artes (DGArtes) que vão apresentar propostas para a representação portuguesa na 18.ª Exposição Internacional de Arquitetura – La Biennale di Venezia 2023. A escolha do projeto curatorial e expositivo será feita através de um concurso limitado de seleção para o qual foram escolhidos os arquitetos e curadores Ricardo Carvalho, Andreia Garcia e o Atelier do Corvo (Carlos Antunes e Désirée Pedro).

O vencedor do concurso será responsável por implementar a sua proposta curatorial para a representação oficial na prestigiada Bienal italiana do próximo ano, ou seja, irá identificar e selecionar a temática, os conteúdos e a equipa artística de Portugal na mais importante e internacional mostra de Arquitetura.

As propostas serão avaliadas por uma comissão de apreciação constituída por Paulo Carretas (técnico superior da DGARTES), que coordena, Joaquim Moreno, Isabel Ortins Simões Raposo, Julia Albani e Nuno Grande (especialistas), de acordo com a informação divulgada pela Direção-Geral de Artes.

“Ser selecionada para este concurso é, desde logo, uma grande honra, um importante reconhecimento do trabalho desenvolvido e, claro, uma enorme responsabilidade”, salienta Andreia Garcia.

A docente do Departamento de Engenharia Civil e Arquitetura da UBI destaca a oportunidade criada para “repensar o que pode ser, e para que pode servir, a representação portuguesa neste tão importante evento internacional”.

A trabalhar na proposta cujo prazo de entrega termina no dia 25 de outubro, Andreia Garcia sublinha que dará resposta ao tema do “Laboratório do Futuro”, apresentado pela curadora geral da Bienal de Veneza, Lesley Lokko, “através do seu provocador manifesto”.

De acordo com a DGArtes, na dependência do Ministério da Cultura, os projetos devem relacionar-se com a ideia avançada por Lesley Lokko, arquiteta e escritora, “que nos últimos 30 anos tem refletido, no seu trabalho, sobre as relações entre ‘raça’, cultura e espaço”.

Outros objetivos são a dinamização da internacionalização das artes e da cultura portuguesa, valorização da dimensão educativa e sensibilização para a cultura, sustentabilidade ambiental e ecologia, investigação e experimentação artísticas e promoção da acessibilidade de profissionais e públicos envolvidos nos projetos artísticos.

A Representação Oficial Portuguesa no evento, que decorre entre 20 de maio e 26 de novembro, ficará instalada no Palazzo Franchetti.

Andreia Garcia é fundadora do Architectural Affairs. Fez parte das equipas Guimarães Capital Europeia da Cultura 2012 e integrou a candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura em 2027.

This Post Has 0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back To Top