Skip to content

As Imaginações Políticas de Mulheres Negras. O Caso da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (2019-2022)

Publicado em: As Imaginações Políticas de Mulheres Negras. O Caso da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (2019-2022)


Moderação: Gaia Giuliani (CES)

Enquadramento

Neste seminário, a oradora apresentará aspectos de sua pesquisa de doutorado, onde investiga o exercício político de quatro mulheres negras que atuaram como representantes eleitas na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro entre 2019 e 2022, a saber, Enfermeira Rejane, Mônica Francisco, Renata Souza e Dani Monteiro. Enquadrada em uma abordagem democrática radical da representação política, esta pesquisa explora como mulheres negras, organizadas em torno da articulação da ocupação de espaços de poder e de tomada de decisão coletiva, têm contribuído para a ampliação do campo de lutas sociais e políticas dentro das instituições políticas. Além disso, falar sobre mulheres negras na esfera institucional no Brasil também reflete a urgência de discutir os eventos que precederam e sucederam o assassinato de Marielle Franco, principalmente levando em conta as mulheres negras que têm resistido às tentativas e aos repertórios de silenciamento e invisibilização de suas vozes no país.

Com foco no aspecto performático da representação política, o principal objetivo desta pesquisa é conhecer as cadeias discursivas das mulheres negras no poder, a fim de desvendar como essas agentes estão imaginando, ou melhor, (re)imaginando a política com sua presença física, simbólica e substantiva em instituições tradicionalmente ocupadas por masculinidades brancas. Ao considerar a relação entre esses corpos, o espaço e as relações geradas com essa ocupação, esta pesquisa tem como objetivo revelar as tensões envolvidas nessa ocupação e as respostas e repertórios de resistência empregados pelas mulheres negras nesse sentido. Inspirado por Maria Lugones e suas notas metodológicas sobre a práxis do feminismo decolonial, o foco na agência das mulheres negras funciona como uma lente para revelar resistência e as próprias estruturas e práticas de dominação às quais os sujeitos e identidades subalternizados se opõem.

Com foco no arquivo de reivindicações representativas que as mulheres negras constroem sobre grupos igualmente marginalizados, ou seja, mulheres, mulheres negras, favelas e periferias, pessoas negras e a população LGBTQIA+, este projeto postula que uma imaginação política que visa reconfigurar o status atual das instituições políticas pode ser apreendida e discernida ao se dar atenção às reivindicações representativas feitas em nome de grupos historicamente excluídos dos domínios do poder político. Adotando a premissa de que a resistência institucional é, de fato, possível, este projeto trabalha ainda com a suposição de que a resistência é um processo repleto de limitações e que a atenção dada a essas limitações é fundamental para visualizar e identificar os aspectos da dominação que se mostram mais fixos e desafiadores, exigindo, portanto, um exame contínuo.

Nota biográfica

Lívia De Souza Lima é doutoranda em Estudos Interamericanos na Universität Bielefeld e bolsista da Fundação Rosa Luxemburgo. Seu foco principal de pesquisa está na interseção de gênero, raça, representação política e performance. Seu projeto de doutorado está centrado nas performances políticas de mulheres negras eleitas políticas no Brasil, onde ela procura descobrir uma re-imaginação emergente de instituições políticas e a política de representação. Ela é co-líder do Grupo de Trabalho 3 no Cost Action Decolonising Development e foi pesquisadora visitante no CES em outubro de 2023. Lívia Lima também é cofundadora do coletivo feminista Miradas Feministas, com sede em Hamburgo, um grupo de mulheres comprometidas com o trabalho nos regimes alemães/europeus de visibilidade dos conhecimentos e práticas de resistência das mulheres latino-americanas. 


Publicações recentes:

Coeditora do volume ‘Feminisms in Movement. Theories and Practices from the Americas.’ Transcript, Bielefeld, 2024 

Violence Against Black Women in Politics: Experiences and Testimonials from Brazil, Femina Politica, 2022, com Ligia Fabris and Mayra Goulart da Silva

________________________

Esta atividade realiza-se através da plataforma Zoom, sem inscrição obrigatória. No entanto, está limitada ao número de vagas disponíveis > https://zoom.us/j/81313006486 | ID: 813 1300 6486 | Senha: 589336

Agradecemos que todas/os as/os participantes mantenham o microfone silenciado até ao momento do debate. A/O anfitriã/ão da sessão reserva-se o direito de expulsão da/o participante que não respeite as normas da sala.


As atividades abertas dinamizadas em formato digital, como esta, não conferem declaração de participação uma vez que tal documento apenas será facultado em eventos que prevejam registo prévio e acesso controlado.

 


 

Back To Top