skip to Main Content

Como a Estratégia de Retenção de Direitos afetará a publicação científica? [Publicado originalmente no LSE Impact Blog em setembro/2021]

Publicado em: Como a Estratégia de Retenção de Direitos afetará a publicação científica? [Publicado originalmente no LSE Impact Blog em setembro/2021]

Por Stephen J. Eglen

Imagem: Dan Meyers.

Em agosto de 2021, o UKRI (UK Research and Innovation) finalmente anunciou sua tão esperada política revisada de acesso aberto1 e, a partir de abril de 2022, exigirá que os autores tornem seus artigos de pesquisa imediatamente abertos, seja por meio do acesso aberto (AA) dourado ou verde. A rota verde para o acesso aberto pode ser alcançada em periódicos por assinatura usando algo denominado Estratégia de Retenção de Direitos (Rights Retention Strategy, RRS) que foi desenvolvida pela coAlition S e tornada obrigatória, por exemplo, para artigos de pesquisa resultantes de trabalhos financiados pela Wellcome. Eu escrevi um manual2 sobre o que isso significa para pesquisadores. Em essência, os autores declaram que qualquer manuscrito aceito pelo autor (author-accepted manuscript, AAM) resultante de seu manuscrito submetido a um periódico para publicação pode ser disponibilizado gratuitamente sem embargo. Isso fornece uma solução pragmática, livre de taxas de autoria, comumente denominada “AA verde”, como uma alternativa ao modelo preferido pelo publisher, “AA dourado”, onde uma taxa de processamento do artigo é frequentemente necessária. O UKRI encara o AA verde e dourado como abordagens igualmente válidas para compartilhar o trabalho.

Como pesquisador, acho que o RRS é uma ferramenta valiosa para reter os direitos sobre nosso trabalho, ao invés de ceder todos os nossos direitos na fase de aceitação do manuscrito. Vários publishers já responderam negativamente a esta proposta. No entanto, apesar de suas objeções, alguns destes publishers estão agora publicando manuscritos que adotaram a linguagem RRS.

Portanto, agora que o UKRI se uniu a outros financiadores, como o Wellcome, no apoio a rotas de retenção de direitos, o que vem a seguir? Como publishers e autores podem responder?

Rejeição de manuscritos por desk review

Muitas pessoas estão, com razão, preocupadas com a aplicação do RRS. E se um periódico revisa e aceita meu artigo, mas depois me pede para assinar um formulário de transferência de direitos autorais que, por exemplo, exige que eu não compartilhe meu manuscrito aceito pelo autor? Até o momento, a maioria dos autores simplesmente assina o formulário para que seu artigo seja publicado o mais rápido possível. Os autores, com razão, desejarão evitar discussões prolongadas sobre direitos autorais que podem, em última instância, fazer com que seu artigo seja rejeitado.

Em resposta, eu sugeriria que os editores de periódicos não são obrigados a aceitar artigos para revisão que usem o RRS. Se o editor notar que os requisitos de direitos autorais do periódico entrarão em conflito com o RRS, em primeira instância, eu sugeriria que os editores do periódico reconsiderassem os requisitos do periódico. Tudo o que é necessário é uma licença para publicar dos autores, ao invés de qualquer transferência de direitos autorais. Caso contrário, se o periódico pretende ignorar o RRS e requer a transferência de direitos autorais na aceitação que poderia negar o RRS, então, em vez disso, o editor deve rejeitar a submissão. Caberá então aos pesquisadores decidir por si próprios nos interesses de quem o periódico está agindo.

Quantos artigos serão AA verde versus AA dourado?

A política do UKRI é ambiciosa, pois permite soluções AA verdes e douradas para conformidade. Os publishers podem ter a expectativa de que a maioria dos autores ainda prefira seguir o caminho dourado para o acesso aberto, de modo que a “versão do registro” (version of record, VOR) possa ser compartilhada livremente na maioria dos casos, em vez do AAM. No entanto, o caminho para a via dourada parece cada vez mais caro, com poucos mecanismos para evitar que seus custos continuem a aumentar. Mesmo com acordos de “publicação e leitura” vigentes e promessas de fundos do UKRI para apoiar o acesso aberto, os fundos são finitos e, portanto, um autor não pode presumir que os fundos estarão sempre disponíveis. Por outro lado, nenhuma taxa de autor é exigida para o AA verde, tornando-o uma rota padrão sensata para conformidade em periódicos híbridos.

Periódicos híbridos irão desaparecer?

A julgar pelas reações do publisher, a maior ameaça que o RRS representa é que ele prejudica os periódicos “híbridos” que são baseados em assinatura e cobram APC para que os artigos tenham acesso aberto. Se usados em escala para apoiar o AA verde, os periódicos híbridos perderão a receita do APC. As bibliotecas podem começar a cancelar a assinatura destes periódicos se a maior parte do conteúdo estiver disponível gratuitamente, colocando estes periódicos em risco. Estes periódicos podem, portanto, decidir devolver um modelo de assinatura puro (desk review rejeitando artigos que desejam usar RRS) ou optar por um modelo APC dourado. Um pequeno número de periódicos agora está explorando o modelo “subscreva para [acesso] aberto” (subscribe to open), veja abaixo, em conjunto com o apoio de bibliotecas.

Isso apresenta riscos, por exemplo, se a maioria dos periódicos requerer APCs para publicar, pesquisadores e instituições com fundos limitados serão excluídos da publicação nestes veículos. Isenções às vezes estão disponíveis, mas não são confiáveis ou amplamente disponíveis. Se quisermos tornar a publicação mais justa, precisamos de uma solução mais confiável do que as dispensas de APC (veja a seguir). No entanto, no balanço, se RRS significa que periódicos híbridos irão desaparecer, eu acho que esta é uma boa solução para o atual problema da “dupla cobrança”, onde estamos pagando para ler e publicar no mesmo periódico

Alternativas sustentáveis à publicação?

Independentemente do que os publishers legados possam decidir fazer para responder a este último movimento, devemos estar cientes de que existem muitas rotas alternativas para compartilhar os resultados de nossa pesquisa, além de compartilhar nosso manuscrito. À medida que a pesquisa se torna cada vez mais digital, somos capazes de compartilhar muito mais de nossos dados e artefatos de pesquisa (códigos, protocolos, resultados) gerados ao longo de nosso ciclo de vida de pesquisa. Se vemos nossos manuscritos como apenas uma parte de nossa produção acadêmica, devemos buscar soluções de infraestrutura que nos permitam compartilhar estes valiosos recursos.

O servidor de preprint arXiv acabou de completar 30 anos e é visto como um serviço valioso por muitos nas ciências matemáticas e físicas. Ele inspirou preprints semelhantes em muitas outras disciplinas. O arXiv é financiado por auxílios à pesquisa e instituições (dois dos quatro membros platinum são universidades do Reino Unido). Além de hospedar preprints, o arXiv agora é usado para hospedar periódicos de “sobreposição” de AA diamante, que acredito fornecem um caminho muito mais sustentável para a publicação – gratuito para ler e publicar. Várias outras abordagens que valem a pena destacar brevemente, incluem:

  1. Subscribe to Open usa fundos da biblioteca para converter periódicos de assinatura em acesso aberto.
  2. The Open Library of Humanities utiliza o apoio da biblioteca para proporcionar periódicos de acesso aberto.
  3. The Journal of Open Source Software é baseado inteiramente em infraestrutura gratuita na nuvem para administrar e hospedar periódicos.

Ao trabalhar internacionalmente para fornecer infraestrutura confiável de comunicação científica, devemos ser capazes de incorporar publishers e iniciativas voltadas para o futuro que ajudem a revolucionar a publicação, em vez de nos deixar nas mãos de publishers legados que fornecem um serviço limitado. Esperamos que a estratégia de retenção de direitos desempenhe um pequeno papel nesta revolução, permitindo que os pesquisadores retenham os direitos sobre o nosso trabalho.

Notas

1. UKRI announces new Open Access Policy [online]. UKRI – UK Research and Innovation. 2021 [viewed 15 September 2021]. Available from: https://www.ukri.org/news/ukri-announces-new-open-access-policy/

2. EGLEN, S.J. Primer on the Rights Retention Strategy [online]. Zenodo. 2021 [viewed 15 September 2021]. https://doi.org/10.5281/zenodo.4668132. Available from: https://zenodo.org/record/4668132

Referências

EGLEN, S.J. Primer on the Rights Retention Strategy [online]. Zenodo. 2021 [viewed 15 September 2021]. https://doi.org/10.5281/zenodo.4668132. Available from: https://zenodo.org/record/4668132

MEKONNEN, A., et al. What costs half a year’s pay for African scholars? Open access. Nature [online]. 2021, vol. 596, no. 7871, pp. 189 [viewed 15 September 2021]. https://doi.org/10.1038/d41586-021-02173-7. Available from: https://www.nature.com/articles/d41586-021-02173-7

UKRI announces new Open Access Policy [online]. UKRI – UK Research and Innovation. 2021 [viewed 15 September 2021]. Available from: https://www.ukri.org/news/ukri-announces-new-open-access-policy/

Links externos

About – Subscribe to open: https://subscribetoopencommunity.org/

GitHub – rossmounce/rrs-language-including-outputs: https://github.com/rossmounce/rrs-language-including-outputs

Open access – Wikipedia | Gold OA: https://en.wikipedia.org/wiki/Open_access#Gold_OA

Open access – Wikipedia | Green OA: https://en.wikipedia.org/wiki/Open_access#Green_OA

Open access – Wikipedia | Hybrid OA: https://en.wikipedia.org/wiki/Open_access#Hybrid_OA

Open Library of Humanities: https://www.openlibhums.org/

Our Members | arXiv e-print repository: https://arxiv.org/about/ourmembers

The Journal of Open Source Software: https://joss.theoj.org/

Sobre Stephen J Eglen

Stephen J Eglen é Professor de Neurociência Computacional no Departamento de Matemática Aplicada e Física Teórica da Universidade de Cambridge. Ele tem um interesse de longa data em ciência aberta e pesquisa reprodutível. Ele co-lidera o projeto CODECHECK (https://codecheck.org.uk) para reprodutibilidade de cálculos em publicações científicas. Ele é editor associado do biorXiv e integra os conselhos consultivos do F1000 Research e do Gigabyte.

 

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

ENGLEN, S.J. Como a Estratégia de Retenção de Direitos afetará a publicação científica? [Publicado originalmente no LSE Impact Blog em setembro/2021] [online]. SciELO em Perspectiva, 2021 [viewed ]. Available from: https://blog.scielo.org/blog/2021/09/15/como-a-estrategia-de-retencao-de-direitos-afetara-a-publicacao-cientifica/

This Post Has 0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back To Top