skip to Main Content

Ideologia de género no Brasil: eventos precursores e desdobramentos 


Comentários: Luciane Lucas dos Santos (UFSB/CES) e Teresa Toldy (UFP/CES)  | Moderação: Júlia Garraio (CES).


 


Resumo


Desde o ano de 2010, é possível observar a proliferação mais explícita de segmentos religiosos conservadores no cenário político brasileiro. Sobretudo após o pleito eleitoral deste mesmo ano, a Frente Parlamentar Evangélica (FPE) tem atuado, em conjunto com a Frente Parlamentar Mista Católica Apostólica Romana, em nome daquilo que chamam de “defesa da família”. É possível verificar a utilização desta bandeira em proposições legislativas, em discursos proferidos por parlamentares no Congresso Nacional brasileiro, assim como em suas articulações para pressionar o Poder Executivo em torno de determinadas pautas. Uma destas, que reverbera até hoje e que teve como principal desdobramento a eleição do candidato de extrema-direita Jair Messias Bolsonaro à Presidência da República, é o combate à chamada “ideologia de gênero”, que ganhou repercussão nos debates sobre o Plano Nacional de Educação e posteriormente alcançou projeção midiática por conta da atuação de lideranças político-religiosas. Assim, o intuito deste seminário é debater os principais argumentos que justificam, na visão destes parlamentares e lideranças político-religiosas, o combate à “ideologia de gênero”, assim como sua associação à “defesa da família” e desdobramentos deste processo no Brasil contemporâneo.



Nota biográfica

Fernanda Marina Feitosa Coelho | Doutoranda em Ciências da Religião pela Universidade Metodista de São Paulo e realiza estágio de doutorado sanduíche na Universidade de Coimbra, no Centro de Estudos Sociais. É Mestra em Ciências da Religião pela Universidade Metodista de São Paulo (2017) e Bacharela em Ciências Econômicas pela Universidade Cruzeiro do Sul (2011). Tem como principais temas a proliferação de discursos sobre a chamada “ideologia de gênero” no cenário político brasileiro, assim como sua repercussão na mídia por conta da atuação de lideranças político-religiosas.


Tainah Biela Dias | Doutoranda em Ciências da Religião pela Universidade Metodista de São Paulo e está realizando período de doutorado sanduíche na University of Wales Trinity Saint David. É Mestra em Ciências da Religião pela Universidade Metodista de São Paulo (2017) e possui Bacharela e Licenciada em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2014). Tem como principais temas as relações entre religião e política no Brasil, sobretudo no que concerne à obstaculização dos direitos da população LGBTI+, assim como também realiza pesquisa a respeito da experiência de comunidades religiosas LGBTI+ no Brasil.


 


Organização: POLICREDOS | Observatório da Religião no Espaço Público, com o apoio do projeto de investigação DeCodeM – (Des)Codificar Masculinidades: para uma melhor compreensão do papel dos media na construção de perceções de masculinidades em Portugal 

Fonte: Ideologia de género no Brasil: eventos precursores e desdobramentos 

This Post Has 0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back To Top