Skip to content

Inês Rodrigues agraciada com Menção Honrosa no âmbito do Prémio Victor Sá de História Contemporânea 2019


Inês Nascimento Rodrigues, investigadora em pós-doutoramento do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, foi agraciada com Menção Honrosa no âmbito da 28.ª edição do Prémio Victor Sá de História Contemporânea 2019, com a obra “Espectros de Batepá: Memórias e narrativas do «Massacre de 1953» em São Tomé e Príncipe”. O anúncio foi feito pelo Conselho Cultural da Universidade do Minho.


«Espectros de Batepá» resulta de um projeto de doutoramento elaborado no âmbito do programa de ‘Pós-Colonialismos e Cidadania Global’ (CES/FEUC) e do trabalho desenvolvido no projeto de investigação “CROME – Memórias Cruzadas, Políticas do Silêncio: as guerras coloniais e de libertação em tempos pós-coloniais”, do qual Inês Nascimento Rodrigues é investigadora.

Nesta obra, segundo a premiada, o acontecimento é «encarado não apenas como um evento histórico, mas como um evento cuja dimensão simbólica necessita de ser trazida para o centro da investigação». «Na impossibilidade de aceder totalmente ao que constituiu a experiência do massacre, é através da imaginação e das representações que se podem contar múltiplas memórias do evento»: as que «legitimam as narrativas públicas e/ou oficiais» e outras, «que fazem parte de um processo mais inclusivo, em que se criam espaços discursivos, simbólicos e políticos que permitem articular memórias não-dominantes sobre os referidos acontecimentos».

O júri do Prémio de História Contemporânea, presidido por Viriato Capela, professor catedrático de História da Universidade do Minho, contou como vogais com o Professor António Pires Ventura, da Universidade de Lisboa e o Professor João Paulo Avelãs Nunes, da Universidade de Coimbra. Trata-se de um Prémio instituído há 28 anos pelo Doutor Victor Sá, para premiar trabalhos de investigação sobre História Contemporânea de Portugal, que distingue jovens investigadores e que se tornou o mais prestigiado Prémio nesta área a nível nacional. 

A concurso estiveram 12 obras, na sua maioria teses de doutoramento, numa edição muito participada como aliás já se vem tornando um hábito, o que demonstra quer o prestígio alcançado quer a vitalidade da historiografia portuguesa contemporânea.

O Prémio será entregue em sessão pública, presidida pelo Reitor, no próximo mês de dezembro em data a anunciar. Na ocasião as autoras farão uma apresentação das obras premiadas,

Fonte: Inês Rodrigues agraciada com Menção Honrosa no âmbito do Prémio Victor Sá de História Contemporânea 2019

Back To Top