skip to Main Content

Lecciones sobre la experiencia alemana» de Janet Biehl e Peter Staudenmaier

Lecciones Sobre La Experiencia Alemana» De Janet Biehl E Peter Staudenmaier

Publicado em: Lecciones sobre la experiencia alemana» de Janet Biehl e Peter Staudenmaier


Comentários: Mónica Soares (CES), Marcela Uchôa (IEF-UC), Jonas Van Vossole (CES) | Moderação: Gustavo García López (CES)

Resumo

A ecologia não pertence forçosamente à esquerda, nem à direita é totalmente negacionista de uma agenda ecológica e das alterações climáticas. Discutivelmente, o gérmen da força política dos repertórios ecologistas não se articula necessariamente numa linha progressista e/ou revolucionária. Este livro toma, a partir de um trabalho documental detalhado, o caso do enlace bem-sucedido, tanto ideológico como governamental, entre o nacional-socialismo e a ecologia. Os autores mostram como o movimento nazi teve como pilares organizativos a agricultura orgânica, o vegetarianismo e o culto da natureza, ao ponto que estas temáticas eram, desde logo, promovidas pelas organizações juvenis hitlerianas.

Cada vez mais assiduamente e de formas invulgares assistimos a uma clara convergência de discursos ecologistas com perspectivas sociopolíticas reacionárias e neoconservadoras. Nesse sentido, os autores do livro alertam para não considerar o ecofascismo um resquício histórico. Há que pensá-lo para além da Alemanha e do nazismo da primeira metade do século, colocando-o na ordem do dia como uma realidade flagrante e periclitante. Em Portugal, por exemplo, não se pode deixar de lado que o salazarismo teve no centro ideológico uma vida austera rural de apego à terra. Na Europa de hoje assistimos a um giro de certos partidos de extrema-direita para repertórios ecologistas (e.g., Rassemblement National na França) que os reivindicam ao propor o incentivo do consumo de produtos locais, a redução das emissões de CO2, a adoção de uma vida mais sustentável, e de menor mobilidade, assim como ressaltando o apego à terra. Também várias experiências comunitárias, articuladas autonomamente com vista ao desenvolvimento de formas de vida sustentáveis, tiveram e têm cada vez mais afinidades ideológicas com a extrema-direita.

Como roteiro da sessão, prevemos que cada um dos intervenientes apresente, respetivamente, cada um dos três capítulos do livro. Seguidamente promover-se-á um debate sobre as possíveis articulações que o ecofascismo pode tomar nos dias de hoje, nomeadamente no vertebrar do sujeito político ecologista, assim como pensar em possíveis caminhos para reivindicação das questões ecológicas sob um ponto de vista antifascista.


Esta oficina integra o Grupo de Leitura de Ecologia Política 2020-2021 da Oficina de Ecologia e Sociedade (ECOSOC). Se pretender receber uma cópia do artigo, por favor, envie email para ecosoc@ces.uc.pt


_____________________

Esta atividade realiza-se através da plataforma Zoom, sem inscrição obrigatória. No entanto, está limitada ao número de vagas disponíveis.
https://us02web.zoom.us/j/82378060906?pwd=bERMeEk5ZG8yVFA3N3U2ZkZsT3orUT09

ID: 823 7806 0906 | Senha de acesso: 121817


Agradecemos que todas/os as/os participantes mantenham o microfone silenciado até ao momento do debate. A/O anfitriã/ão da sessão reserva-se o direito de expulsão da/o participante que não respeite as normas da sala.


As atividades abertas dinamizadas em formato digital, como esta, não conferem declaração de participação uma vez que tal documento apenas será facultado em eventos que prevejam registo prévio e acesso controlado.

Fonte: Lecciones sobre la experiencia alemana» de Janet Biehl e Peter Staudenmaier
Feed: Centro de estudos Sociais – Eventos
Url: www.ces.uc.pt
This Post Has 0 Comments

Comentar

Back To Top