skip to Main Content

Materialidades da Literatura na ELO 2020 (Virtual Edition)

Materialidades Da Literatura Na ELO 2020 (Virtual Edition)

Publicado em: Materialidades da Literatura na ELO 2020 (Virtual Edition)

Devido à pandemia provocada pela COVID-19, a organização da Electronic Literature Organization Conference and Media Arts Festival, a cargo de Anastasia Salter e Mel Stanfill, decidiu que, ao invés do esperado evento presencial, a ter lugar na University of Central Florida, em Orlando (EUA), de 16 a 19 de julho, a ELO 2020 seria a primeira edição virtual deste encontro anual, mantendo as datas previstas. Subordinado ao tema “(un)continuity”, o programa contou com diversas atividades assíncronas (nomeadamente duas exposições virtuais, a disponibilização de um conjunto alargado de novos artigos revistos por pares, bem como comunicações e painéis pré-gravados e disponibilizados na semana do evento), todas acessíveis a partir da página da ELO 2020. No entanto, houve também diversas atividades síncronas, tais como workshops, mesas-redondas, plenários ou performances, que, decorrendo através da plataforma Zoom, foram gravadas, estando também disponíveis no arquivo do evento. 

Reforçando o espírito de comunidade e numa tentativa de não descurar a componente social da ELO, foi criado um grupo na rede social Discord, para discussão não apenas de vários tópicos dentro da área de investigação em literatura eletrónica e partilha de recursos, mas também para conversas informais nos intervalos entre sessões síncronas, apreciação da exposição, performances e, inclusivamente, para a realização do banquete virtual. 

A participação das Materialidades da Literatura na Electronic Literature Organization Conference foi, uma vez mais, assinalável.

Comunicação “Oralengas” go to school. A first experiment, pela equipa do projeto Murais e Literatura.

Ana Maria Machado, Rui Torres, Ana Albuquerque e Aguilar, Júlia Zuza Andrade, Luís Lucas Pereira e Thales Estefani apresentaram uma comunicação assíncrona, intitulada Oralengas” go to schoolA first experiment, onde discorreram acerca das etapas já concretizadas no âmbito do projeto Murais e Literatura: a criação digital em contexto educativo, do Centro de Literatura Portuguesa, coordenado por Ana Maria Machado, bem como dos passos seguintes, que tiveram de ser repensados devido à pandemia.

No que respeita às atividades síncronas, Ana Albuquerque e Aguilar integrou, juntamente com María Goicoechea (Universidad Complutense de Madrid), Laura Sánchez (Universidad Complutense de Madrid) e Mark Marino (University of Southern California), uma mesa-redonda intitulada “What’s New in Children’s eLit?”, que teve lugar no dia 17 de julho e na qual foram partilhados e discutidos diferentes projetos e iniciativas no âmbito da literatura infantil e juvenil digital em Portugal, em Espanha e nos Estados Unidos, sobretudo nos meios académico e artístico em que os oradores operam. No entanto, devido à interação em direto com o público, que assistia a partir de todos os continentes, rapidamente a discussão foi amplificada e enriquecida por uma troca de ideias com a comunidade global da ELO, tendo‑se criado um canal próprio no grupo do Discord (“Children’s eLit Recommendations”) para permitir a continuação e a continuidade desta partilha.

Comunicação “Children’s eLit in Portugal”, de Ana Albuquerque e Aguilar, na mesa-redonda What’s New in Children’s eLit?

As MatLit marcaram também presença numa das exposições virtuais, “(un)continuity – a virtual exhibition”, com SONAR, de Daniela Côrtes Maduro, João Couceiro e Castro, Sérgio Rebelo e Pedro Martins, que nasce de uma colaboração entre a primeira doutorada em Materialidades da Literatura e o grupo de sonificação do DEI da FCTUC.            

SONAR, de Daniela Côrtes Maduro, João Couceiro e Castro, Sérgio Rebelo e Pedro Martins.

Apesar dos naturais constrangimentos, a realização virtual deste evento permitiu à comunidade, que já trabalha em torno do digital e das problemáticas associadas ao meio há mais duas décadas, reinventar-se e criar novas dinâmicas de interação. Uma delas foi, justamente, a gravação e preservação de atividades síncronas e assíncronas, o que permitiu que, independentemente do local do mundo em que os participantes (ou outros interessados) se encontrassem ou da sua disponibilidade nos dias do colóquio, pudessem assistir a tudo o que lhes interessava. Do mesmo modo, também as exposições virtuais ficaram acessíveis ao grande público. A pedido da comunidade, a organização manteve ainda o grupo do Discord em funcionamento, sendo que nas primeiras sextas-feiras de cada mês se realizam os eventos “First Fridays”, em inglês, espanhol, francês e alemão, em canais específicos criados para o efeito. Por fim, o balanço da ELO 2020 – Virtual Edition revelou que a grande participação e interação desta edição foram os seus pontos fortes relativamente às anteriores, em formato presencial. 

Fonte: Materialidades da Literatura na ELO 2020 (Virtual Edition)
Feed: Materialidades da Literatura
Url: matlit.wordpress.com
This Post Has 0 Comments

Comentar

Back To Top