skip to Main Content

O Sistema de Gestão da Qualidade do Museu do ISEP : Notícia BAD

Publicado em: O Sistema de Gestão da Qualidade do Museu do ISEP : Notícia BAD

O Museu do ISEP, criado em 1999, é herdeiro de um importante acervo de instrumentos e modelos científicos de diversas áreas como: Física, Química, Mecânica, Minas e Metalurgia, Civil, Eletrotecnia, Desenho ou Matemática. Esta coleção passou a estar acessível ao público ilustrando de forma clara o desenvolvimento tecnológico do século XIX, onde a componente experimental era um elemento fundamental para a formação dos estudantes. A partir de 2011 passou a estar integrado no Sistema de Gestão de Qualidade do Instituto Superior de Engenharia do Porto (ISEP), pela Norma ISO:9001.

Neste enquadramento a Escola assume-se como comunidade socialmente responsável, promovendo politicas que visam a excelência das suas atividades, em particular nas áreas da formação, de investigação e transferência aplicada de tecnologia e do saber.

Com a certificação o Museu do ISEP teve que elaborar um sistema documental (constituído por procedimentos, instruções de trabalho e impressos), tendo como base a sua missão – Reunir, em benefício da comunidade, bens culturais, materiais e imateriais, representativos da evolução do ensino industrial, destacando o seu contributo para o desenvolvimento nacional.

O objetivo principal foi a regulamentação de todo o funcionamento do serviço, de forma a definir metodologias de acesso ao acervo por parte dos utilizadores e descrever as principais atividades internas desenvolvidas, assegurando assim a divulgação do património cultural e científico que o Museu tem à sua guarda.

Toda a atividade está sistematizada num descritivo de processo, onde estão indicadas as entradas/inputs (diretrizes da DGPC, pedidos de consultadoria, pedidos de empréstimos, pedidos de visitas, pedidos de estudo e investigação, orientações da RPM, necessidades de conservação e restauro), atividades (visitas orientadas e ateliers educativos, exposições temporárias e programas culturais, gestão de coleções, investigação, parceiras, ações de conservação curativa e preventiva), saídas/outputs (divulgação da ciência, divulgação do acervo museológico, divulgação externa do Museu do ISEP, Promoção dos Museu de Ciência, preservação das coleções), objetivo (divulgar o espólio cultural representativo da evolução do ensino industrial, destacando o seu contributo para o desenvolvimento nacional através da gestão de bens culturais, materiais e imateriais), procedimentos/documentos aplicáveis, atividades e a motorização/medição através de vários indicadores.

Para além da atividade museológica, estão inseridos no sistema toda a atividade desenvolvida no Arquivo Histórico e no Acervo Bibliográfico Antigo, ambos sob tutela do museu.

Todo este trabalho foi apresentado no webinar “O sistema de gestão de Qualidade no Museu
do Instituto Superior de Engenharia do Porto
“, realizado a 21 de junho e orientado pela Patrícia Costa e que foi promovido no âmbito das atividades do Grupo de Trabalho Sistemas de Informação em Museus (GT-SIM) da BAD.

Em conclusão, a implementação de um sistema de gestão da qualidade num museu ou em instituição similar, implicará sempre uma mudança de mentalidades e de cultura institucional, que contribuirá para uma gestão mais eficaz de bens culturais, para a melhoria contínua do serviço prestado e para a satisfação das partes interessadas.

This Post Has 0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back To Top