skip to Main Content

Tu pescas, eu filmo (2019) e o trabalho amador | Tavares | CEM Cultura, Espaço & Memória

Publicado em: Tu pescas, eu filmo (2019) e o trabalho amador | Tavares | CEM Cultura, Espaço & Memória

TU PESCAS, EU FILMO (2019) e o trabalho amador.

Por Lucas Tavares

“Em cinema, o termo «amador» aparece‐nos carregado de significado: em vários fóruns e blogs encontramos o termo com conotação pejorativa a um cinema ou cineasta que «falha» a linguagem clássica cinematográfica, ou que possua «imperfeições técnicas» como planos tremidos filmados à mão, desfoque, etc. «Amador» é um termo que, verticalmente, surge com uma carga pejorativa, mas que, horizontalmente, é motivo de orgulho para quem faz os filmes. Isso mesmo podemos ver tanto nos comentários iniciais de Brakhage ou de Perlov, dois realizadores que já eram reconhecidos como «grandes» cineastas, mas que decidem abandonar essas práticas profissionais e procurar o cinema dito «amador». Então, de que forma podemos opor o cinema amador e o cinema profissional?”

? https://bit.ly/3m5dXfk

Revista CEM v.10 (2019) – https://bit.ly/3iiXH86

Tu pescas, eu filmo (2019) e o trabalho amador | Tavares | CEM Cultura, Espaço & Memória

Tu pescas, eu filmo (2019) e o trabalho amador

This Post Has 0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back To Top