skip to Main Content

Augusto P. Celestino da Costa (1884-1956) | Tiago Brandão

Publicado em: Augusto P. Celestino da Costa (1884-1956) | Tiago Brandão

Excerto:
A ideia de “visões de política” remete para uma dimensão pouco explorada pelo género biográfico, sobretudo quando aplicado à história da ciência ou à expansão das suas fronteiras “internatlistas.” Largamente explorado no âmbito da história intelectual e das ideias, é uma das áreas da história com preceitos disciplinares bem definidos e consagrados na obra de autores reconhecidos (Skinner 2002). A noção de visões políticas, associadas à Ciência e à Tecnologia, é uma característica da empresa tecnocientífica, senão desde os seus primórdios, mas indiscutivelmente visível ao longo do século XX (Cholakov 2000). A ideia de visões políticas, enquanto um olhar que permite valorizar uma dimensão da atividade humana, é algo que nos parece rico, prenhe de potencialidades para olharmos algumas individualidades da nossa história da ciência. É isso que se fez aqui, relativamente ao cientista Augusto P. Celestino da Costa, valorizando uma dimensão da sua obra que normalmente não surge suficientemente analisada..

Sobre o livro:
Este livro de contributos vários percorre século e meio de ideias e autores, por via de uma aproximação biográfica, metodologia comum a todos os colaboradores, em que é possível termos assim uma medida interessante dos temas e desafios que condicionaram a implantação da modernidade científica (e técnica) em Portugal.

Mais informações sobre o livro

 

This Post Has 0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back To Top