skip to Main Content

crise climática, respostas sociopolíticas e tecnologias emergentes

Publicado em: crise climática, respostas sociopolíticas e tecnologias emergentes


Link ZOOM> https://videoconf-colibri.zoom.us/j/83767587717  |  ID: 837 6758 7717



Apresentação


Nesta apresentação irei refletir acerca de como a crise climática está articulada com dispositivos de governação que abarcam um conjunto heterogéneo de dimensões e atores, incluindo movimentos sociais, corpos, estratégias nacionais de neutralidade carbónica e tecnologias emergentes. Esta comunicação resulta do trabalho de investigação realizado no âmbito do projeto TROPO, atualmente a decorrer no Centro de Estudos Sociais, e irá explorar três estudos de caso: o Movimento Transição (MT) em Portugal; O Roteiro para a Neutralidade Carbónica 2050 (RNC2050) e a Geoengenharia. Os dados empíricos incluem 20 entrevistas semiestruturadas com membros do MT; seis grupos de discussão e um fórum deliberativo sobre Geoengenharia; 20 entrevistas semiestruturadas com diversos stakeholders envolvidos na preparação, implementação e receção pública do RNC2050.

Recorrendo a literatura na área dos estudos de ciência e tecnologia, e com base na caracterização de diversos modelos de resposta à crise climática, instrumentos e suas características, irei refletir acerca das múltiplas políticas ontológicas do Antropoceno, argumentando que esta controversa época geológica pode ser interpretada enquanto um dispositivo de governação que visa reconfigurar múltiplas esferas da relação entre humanos, não-humanos e Planeta.


Palavras-chave: Antropoceno; Alterações Climáticas; Ontologia; Estudos de Ciência e Tecnologia



Nota biohgráfica

António Carvalho concluiu doutoramento em Sociologia em 2014 na Universidade de Exeter, sob a orientação de Andrew Pickering. É atualmente Professor Auxiliar Convidado no núcleo de Sociologia da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra e investigador do Centro de Estudos Sociais, onde coordena o projeto TROPO: Ontologias do Antropoceno em Portugal – Movimentos Sociais, Políticas Públicas e Tecnologias Emergentes. Já realizou investigação sobre a história e dimensões sociais da energia nuclear, envolvimento público com tecnologias emergentes, parcerias em saúde global e estudos sociais da meditação. Os seus interesses de investigação incluem biopolítica, Antropoceno, Mindfulness, teoria pós-humanista e afeto. O seu trabalho encontra-se publicado em revistas como Public Understanding of Science, Subjectivity, Nanoethics, Minerva, Globalization and Health e The Sociological Review.

________________________________


Esta atividade realiza-se através da plataforma Zoom, sem inscrição obrigatória. No entanto, está limitada ao número de vagas disponíveis 

Agradecemos que todas/os as/os participantes mantenham o microfone silenciado até ao momento do debate. A/O anfitriã/ão da sessão reserva-se o direito de expulsão da/o participante que não respeite as normas da sala.


As atividades abertas dinamizadas em formato digital, como esta, não conferem declaração de participação uma vez que tal documento apenas será facultado em eventos que prevejam registo prévio e acesso controlado.

 

Fonte: crise climática, respostas sociopolíticas e tecnologias emergentes
Feed: Centro de estudos Sociais – Eventos
Url: www.ces.uc.pt

This Post Has 0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back To Top