skip to Main Content

uma reflexão no âmbito da Economia Solidária

Uma Reflexão No âmbito Da Economia Solidária

Resumo


Esta roda de diálogo busca debater os conceitos de tecnologia e tecnologia social no âmbito de iniciativas económicas populares. Entendendo que a ideia de tecnologia diz respeito não só à técnica que otimiza tempo e recursos mas, também, ao modo como saberes e fazeres populares se articulam para o enfrentamento de dificuldades concretas relativas à produção da vida material, propomos uma reflexão sobre o alargamento necessário do próprio conceito de tecnologia. Neste encontro, três iniciativas trazem perspectivas de leitura sobre a tecnologia social e popular, tendo como ponto de partida as necessidades, os saberes e as vidas das pessoas. A primeira é o Núcleo Interdisciplinar para o Desenvolvimento Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro (NIDES) que, com base em processos participativos, desenvolve projetos de extensão tecnológica que passam a ser atonte dos elementos de ensino e de pesquisa que orientam esse novo campo da tecnologia popular e solidária. A segunda  diz respeito às Redes Colaborativas de Produção Local do Mondego, que, construindo uma rede de mútua colaboração entre iniciativas económicas portuguesas, dá origem a novos produtos e processos produtivos a partir da ressignificação da relação fornecedor-produtor. Através de processos colaborativos de produção e comercialização, esta Rede constrói uma dinâmica que funciona a partir das necessidades das partes envolvidas em lugar das demandas do mercado. A terceira experiência diz respeito a um projeto de pedagogia comunitária, focado nas mulheres ciganas. É a aprendizagem coletiva que, neste projeto, conforma processos e ritmos, suscitando uma perspectiva crítica sobre o sentido mais profundo de tecnologias solidárias e populares.

Notas biográficas

Felipe Addor tem graduação e mestrado em Engenharia de Produção (Coppe/UFRJ) e doutorado em Planejamento Urbano e Regional (Ippur/UFRJ). É pesquisador-extensionista do Soltec/UFRJ desde 2003 e, atualmente, Diretor Geral do Núcleo Interdisciplinar para o Desenvolvimento Social (Nides/UFRJ). É docente do Programa de Pós-Graduação em Tecnologia para o Desenvolvimento Social. É organizador do livro Tecnologia e Desenvolvimento Social e Solidário (Editora UFRGS, 2005; reimpressão 2011); da trilogia Pesquisa, Ação e Tecnologia (Editora UFRJ, 2015); e dos dois volumes Incubadoras Tecnológias de Economia Solidária (Editora UFRJ, 2018). É autor do livro Teoria Democrática e Poder Popular na América Latina (Editora Insular, 2016). Atua principalmente nas áreas de Economia Solidária, Assessoria a empreendimentos, Gestão e produção em assentamentos da Reforma Agrária, Políticas Públicas, Democracia Participativa, Metodologias Participativas e Extensão.


José João Rodrigues é animador sócio-cultural, ativista e dinamizador do Projeto Casa do Sal da Figueira da Foz, que cria produtos e serviços ligados à salinicultura. Organizou e hoje anima as Redes Colaborativas de Produção Local do Baixo Mondego.


Carolina Leão é Doutora em Sociologia Económica e das Organizações pelo ISEG/Univ. de Lisboa. Pós Doutoramento realizado no Inst. de Geociências da Univ. Federal Fluminense. É investigadora no SOCIUS-CSG-ISEG/Universidade de Lisboa. Desenvolve trabalho no campo da Educação Popular, associado à Investigação Ação Participativa (IAP). Igualmente, coordena e desenvolve assessoria em projetos da Associação para o Desenvolvimento das Mulheres Ciganas Portuguesas (AMUCIP). Orientações  de Investigação:  Outras Pedagogias, Outras Economias, Educação Popular.


Moderação e comentários: Luciane Lucas dos Santos (Ecosol-CES)

Fonte: uma reflexão no âmbito da Economia Solidária

This Post Has 0 Comments

Comentar

Back To Top